17 de dez de 2013

Depois de Lúcia (Después de Lucía) - 2012


Depois de Lúcia (Después de Lucía) - Poster / Capa / Cartaz Depois de Lúcia (Después de Lucía) - Poster / Capa / Cartaz

DEPOIS DE LÚCIA 
(3,5/5,0)


Sim, sim, mais um filme sobre bullying. Aliás, mais um? Certeza? Duvido que você já tenha visto um filme sobre bullying. Documentário, okay, reportagem, okay, mas filme? Duvido. É mesmo bem difícil fazer um roteiro com algo que foi tão discutido uns dois anos atrás e não ser clichê ou repetitivo.  


Mas bom, deixe-me dizer pra vocês que sim, Depois de Lúcia conseguiu ser um filme de bullying bom.  Aliás, mais que bom.  É chocante. Agoniante.  Mas tá, deixa eu montar a sinopse antes de falar sobre.  Alejandra (ah, sim, é um filme de bullying bom e mexicano) é uma garota comum que acaba de se mudar junto com o pai para uma nova cidade, onde ele pretende abrir um restaurante, enquanto ela enfrenta o desafio de entrar numa escola nova.

Desde o início, vê-se que Alê já não tinha amizades saudáveis na antiga cidade. Na nova escola, ela não faz diferente, e logo fica amiga de um grupo de pessoas de sua sala, aquele grupinho ~mal exemplo ~ que toda sala de aula tem. Alguns dias depois, numa festa, ela envolve-se com Javier, um dos garotos do grupo, e eles gravam um vídeo enquanto transam no banheiro.  Sim, o cara coloca o vídeo na internet. Sim, ela fica mal falada pela escola inteira. Mas não para por aí.


Alejandra não é o tipo de pessoa que podemos chamar de ~garota de atitude~, que é forte e passa por cima de tudo. Ela foi humilhada, enganada, abandonada, sofre violência verbal e física em diversos momentos do filme, e mesmo assim não faz nada. Não é que ela seja idiota. A garota oprime tudo o que acontece, não há choro, nem desespero, nem sofrimento – as agressões feitas são um tapa na cara. Você fica louco pra ajudar a personagem em boa parte da história.

O filme aborda não só o bullying, mas também o quão hipócritas e machistas são as pessoas, ainda hoje.  A garota foi chamada de puta por meses e meses pela escola inteira, e o garoto, que também estava no vídeo, foi só zoado por alguns dias. Ele continuou com amigos e com toda a sua vida normal, enquanto a dela se arruinava. Por que ele também não foi chamado de canalha? E por que alguém pode fazer sexo em quatro paredes, mas quando um vídeo é divulgado, todo mundo julga? É como se fosse coisa de outro mundo. Parece que ninguém nasceu daquele mesmo jeito. Parece que aquilo é algo muito diferente do que todo mundo tá acostumado.


Mas enfim. Adorei a atriz, Tessa la, que faz a personagem principal. O elenco todo é ótimo, na verdade. As cenas com os amigos todos juntos parecem ser reais, dá pra ver todo mundo muito à vontade. Mas foi necessário um elenco bom, principalmente nas cenas que traduzem até que ponto o ser humano pode chegar. E, só pra encerrar, sem dar muito spoiler: só não dei mais uma estrela pela cena final. Que final cagado, gente. Mas tá, essa é minha opinião. Teve gente que amou. Mas sei lá. Recomendo, de qualquer jeito. Assistam, gente! :) 

Beijos!
Becky

5 comentários:

  1. Amo filmes assim, e a dica veio em boa hora por causa do projeto de filmes que estou participando para o ano que vem *u* Um outro filme de bullying que eu gostei foi Bullying Virtual.Traga mais dicas assim Beckyyyy to precisando assistir uns filmes HEHE =3

    Beijos
    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Becky eu vou bater no teu blog. Já é a segunda vez que eu tento comentar e quando eu tô pra clicar em publicar ele recarrega e eu perco o comentário -n Acho que é o meu Google Chrome, anda louquinho esses dias :(

    Ainda não assisti o filme mas parece ser legal, é mexicano mas a filmografia ~acho que é assim que se diz~ é bem diferente dos filmes mexicanos. O legal era que eu tava procurando uns filmes bons pra assistir nessas férias além de ficar viciada no Pottermore. O tema é diferente pra filmes, e me chamou atenção. Amo tuas resenhas. Outro filme sobre bullying que eu quero/desejo/vou assistir é As vantagens de ser invisível, parece ser ótimo.

    neverlandie.blogspot.com/ ♥

    ResponderExcluir
  3. MA OE
    Como já deixei as outras brilharem ~HEHE~, xegay para arrasar.

    Fiquei um pouco curiosa pra assistir o filme, PORÉM 1 pouquinho preocupada por causa de toda essa coisa do sexo e tal. LOL. Mas como o assunto é sério e tal, acho que, hm, basta tratar o assunto (sexo) com maturidade. Aliás, enquanto eu lia a sinopse, fiquei lutando contra esse preconceito péssimo de que ~filme que não é de Hollywood é ruim~
    ! Sério, dá um ódio. É natural! Argh. É tipo pensar que café da Starbucks é muito melhor que café do... Café do Ponto. Isso. Entende? Ou que maquiagem da MAC é melhor que maquiagem da AVON (.................talvez seja................). Tu entendeu.
    ALOKA, BECKY, fiquei preocupada com essa tua revolta quando ao ~machismo~ alheio! Quer dizer, é verdade e tal, mas hm.............. certo. Hm. HM. NÃO VÁ FAZER ISSO EM CASA. q

    <3

    ResponderExcluir
  4. Adoro esses filmes com assuntos do dia a dia, desses que a gente finge não ver.
    Bullying é uma coisa muito sério, quando envolve machismo então... E é bem pertinente para o momento: essa coisa toda dessas meninas se suicidando por terem videos e fotos seus escancarados na rede.
    Vou com toda certeza procurá-lo para assistir.

    http://denovomaisumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Oi. c: Comentários são o que fazem desse blog especial, então... seja legal, tá?